Cifrão

Código de Ética

CAPÍTULO I – Finalidade, Aplicações e Definições

Art. 1º – O Código de Ética da CIFRÃO, representado por normas de conduta, tem por finalidade levar a todos que trabalham na CIFRÃO as noções básicas conceituais que podem contribuir na orientação dos deveres individuais que devem ser observados nas inter-relações inerentes às diferentes atividades exercidas na Entidade e também fora dela.

Art. 2º – O presente Código é norma de conduta moral, com aplicação parcial a todos os associados e Participantes, sendo obrigatória a todos os empregados da CIFRÃO e seus dirigentes, não se confundindo com a legislação específica das Entidades Previdenciais e nem com o Estatuto, Regulamento do Fundo de Previdência ou seu Regimento.

Art. 3º – Este Código também tem por objetivo dotar a Entidade de um referencial que, guiado pelos princípios da legalidade, moralidade e lealdade, presidirá as relações dentro da Entidade, no que concerne à adoção de conduta pessoal e coletiva, possibilitando a existência, no seu âmbito de trabalho, dos mais elevados padrões relativos à urbanidade, respeito, justiça, honestidade, democracia e transparência, fortalecendo as relações internas do Quadro Funcional.

Parágrafo Único – É de capital importância engajar todos em um processo que tenha como meta a coerência ética nas ações e relações da CIFRÃO com as diferentes pessoas com as quais interage, contribuindo assim para o desenvolvimento contínuo dessas pessoas e de suas relações entre si, demonstrando transparência na forma de condução dos assuntos da CIFRÃO, buscando cumprir sua função institucional por meio de um comportamento socialmente responsável.

Art. 4º – Às expressões adiante alinhadas, empregadas neste Código, atribuem-se os seguintes significados:

I – Empregado – é a pessoa física que mantenha relação trabalhista por vínculo empregatício com a CIFRÃO;

II – Contratado – é a pessoa física ou jurídica que seja contratada pela CIFRÃO para fornecimento de serviços ou produtos;

III – Cargos de Confiança – assim entendidos os cargos de Assessoramento e Secretaria que compõem o staff da CIFRÃO;

IV – Assistido – aquele definido no Art. 7º do Estatuto da CIFRÃO;

V – Participante – aquele definido no Art. 7º do Estatuto da CIFRÃO;

VI – Patrocinador – aquele definido no Art. 7° do Estatuto da CIFRÃO;

VII – Instituidor – aquele definido no Art. 7° do Estatuto da CIFRÃO;

VIII – Órgãos Estatutários – são o Conselho Deliberativo, a Diretoria Executiva e o
Conselho Fiscal;

IX – Quadro Funcional – são, em conjunto, os Órgãos estatutários, os Cargos de
Confiança, os Empregados da CIFRÃO e os Contratados;

X – Previdência social – Conjunto de normas de proteção do trabalhador, mediante
aposentadoria, pensão e outros benefícios, regulamentados por leis especiais;

XI – Previdencial – Concernente às normas da previdência social;

CAPÍTULO II – Princípios Universais da Ética – Conduta Básica

Art. 5º – Os empregados e dirigentes da CIFRÃO devem adotar como conduta primordial de trabalho a competência, a responsabilidade e a lealdade , zelando pela qualidade de seus serviços e agindo com transparência, em consonância com o estabelecido nas disposições normativas específicas de cada setor.

Art. 6º – Devem sempre buscar alcançar os padrões de excelência de conduta, que demonstrem o comprometimento do empregado e do dirigente, em qualquer nível, com os compromissos assumidos perante os Participantes e clientes e com os interesses da Entidade.

Art. 7º – As ações dos empregados da CIFRÃO subordinam-se à legislação vigente para a previdência complementar, considerando as condições fixadas no Estatuto, nos Regulamentos, no Regimento Interno e nos demais normativos específicos, visando a assegurar os benefícios de natureza previdencial ou outros que visem o bem-estar dos
Participantes, Assisitidos, Pensionistas e Dependentes.

Parágrafo único – As regras e disposições normativas pertinentes devem ser conhecidas e respeitadas por todos os que trabalham na Entidade.

CAPÍTULO III – Direitos e Deveres Essenciais

Art. 8º – Os deveres éticos dos empregados e dirigentes compreendem a concretização dos direitos e interesses legítimos dos Participantes e Beneficiários da CIFRÃO, almejando a otimização dos resultados com vistas ao cumprimento dos objetivos da Entidade.

Art. 9º – A imagem da CIFRÃO é representada pela conduta interna e externa assumida e praticada por empregados e dirigentes. Atitudes opostas aos preceitos estabelecidos no presente Código poderão refletir negativamente em relação ao elevado conceito da Entidade.

Parágrafo único – Os assuntos internos de caráter reservado que interessam somente à
Administração, confiados, por questão funcional, a qualquer empregado ou dirigente, não devem ser divulgados, devendo ser mantidos no grau de reserva recomendado, evitando trazer prejuízos de qualquer ordem para a CIFRÃO ou para qualquer empregado ou dirigente, sejam os assuntos de natureza pessoal ou de ordem administrativa.

Art. 10 – Nos relacionamentos profissionais internos e externos, os empregados e dirigentes devem praticar os ideais de integridade, lealdade, honestidade e transparência, buscando permanentemente os objetivos organizacionais, como deveres essenciais.

Art. 11 – Todos os que trabalham para e pela CIFRÃO têm os mesmos compromissos éticos, indistintamente do cargo que ocupem.

Art. 12 – Dos Relacionamentos:

I – Entre Empregados
a) as diferenças pessoais devem ser respeitadas e jamais estimuladas discriminações de qualquer natureza.

II – Princípios Gerais de direitos, deveres e obrigações

a) relacionar-se de forma leal, amistosa, cordial e respeitosa com todos os participantes, assistidos, pensionistas, empregados e administradores da CIFRÃO, ou quem com ela se relacionar;

b) os administradores da CIFRÃO, além de observarem o definido na alínea “a”, deverão tratar com urbanidade a todos com os quais se relacionem, devendo os chefes igualmente dispensar o mesmo tratamento a seus subordinados

c) igualmente os subordinados deverão tratar de forma respeitosa e amistosa a seus superiores hierárquicos, participantes, assistidos, pensionistas, dirigentes e o público em geral;

d) todos os empregados da CIFRÃO, bem como os seus dirigentes, em qualquer nível, são responsáveis pela segurança do patrimônio material e moral da CIFRÃO;

e) cada um, na escala de seu grau de competência e responsabilidade, não poderá levar para fora da CIFRÃO (divulgar) nada que a prejudique ou que possa criar o descrédito à
Instituição, ou provocar mal-estar entre os Participantes, sejam ativos ou assistidos da
CIFRÃO;

f) todos aqueles que tiverem vínculos com a CIFRÃO, independentemente do grau desse vínculo, sejam participantes, assistidos, pensionistas, empregados ou diretores, inclusive os conselheiros efetivos e respectivos suplentes, têm a obrigação de defender, permanentemente, o patrimônio moral, direitos e os interesses legítimos da Entidade;

g) sendo a CIFRÃO uma Entidade de Previdência Fechada, sem fins lucrativos, todos os que dela fazem parte ficam igualmente obrigados a defendê-la como tal, isto é, quanto à forma institucional de sua existência e finalidade;

h) todo participante, assistido, pensionista, empregado ou administrador da CIFRÃO, independentemente do vínculo ou do grau hierárquico em que se caracterize, deve assumir o compromisso de defender a CIFRÃO e/ou buscar impedir que ocorram situações de conflito entre os direitos e interesses da CIFRÃO e os de outra qualquer instituição;

i) os administradores da CIFRÃO, representados pelos membros do Conselho Deliberativo, da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal, efetivos e suplentes, se obrigam, pelas disposições Estatutárias e pelo presente Código de Ética, a defender a Entidade em qualquer situação de adversidade administrativa, funcional e patrimonial, decorrente de atos e fatos ofensivos de agentes estranhos à Instituição ou de qualquer partícipe de seu quadro funcional, que cometa ações típicas de desvio de conduta ética, guardando submissão a este Código.

III – Com os Participantes
a) a transparência deve ser almejada como ponto de destaque nos relacionamentos com os associados ou Participantes, cuidando-se para que as informações sejam prestadas de maneira cortês, exata e tempestiva, com base nos normativos da CIFRÃO, garantindo a efetividade no atendimento, empregando, de maneira proativa, todos os meios possíveis e disponíveis de comunicação.

IV – Com os fornecedores e prestadores de serviços
A seleção e contratação de terceiros fornecedores de materiais e serviços proceder-se-á de acordo com os critérios judiciosos estabelecidos em normativos específicos adotados pela CIFRÃO, excluindo-se, portanto, qualquer atitude no sentido de atender a interesses que não sejam exclusivamente da Entidade e de seus participantes, assistidos e pensionistas.

V – Com outros Fundos de Pensão
As relações com outros Fundos de Pensão são regidas pelo respeito e pela parceria quando possível e adequada, sempre orientadas para a melhoria dos resultados daí decorrentes e para o bem comum, inclusive no que se refere à responsabilidade social.

VI – Com os Órgãos de Fiscalização e Controle da CIFRÃO

Primar pelo fiel cumprimento dos preceitos legais que regem a Entidade e suas relações com Entes Públicos, buscando preservar a transparência no relacionamento e nas informações, de modo a facilitar a fiscalização e controle exercidos pelos órgãos reguladores de documentos e atos de gestão pertinentes, especialmente os da Administração Federal.

VII – Com a Sociedade

a) a CIFRÃO exerce suas atividades com responsabilidade social, participando eventualmente de empreendimentos e contando com os serviços de terceiros, gerando empregos diretos e indiretos em sua diversificada atuação institucional, e defendendo a valorização do ser humano e o respeito ao meio ambiente..

b) a CIFRÃO estabelece canais de comunicação com o meio externo de forma transparente, zelando por um padrão de respeito universal, em consonância com os valores estabelecidos pela organização interna, pelos ditames da Lei e da Sociedade.

CAPÍTULO IV – Sobre a Supervisão e Acompanhamento deste Código de Ética

Art. 13 – O Conselho Deliberativo deverá nomear um Comitê de Ética formado por dois de seus membros, um membro do Conselho Fiscal, um membro da Diretoria Executiva e o representante dos empregados com o dever de supervisionar o cumprimento deste código, ficando encarregado de orientar e aconselhar sobre a ética profissional de seus empregados e dirigentes, no relacionamento com os Participantes deste Fundo de Pensão, bem como com os agentes públicos ou privados ou com pessoas que demandarem qualquer tipo de relacionamento jurídico, formal ou informal com a Entidade, competindo-lhe conhecer e discernir, concretamente, quanto à imputação ou o procedimento susceptível de censura, decorrente de conduta antiética, seja esta detectada pelo próprio Conselho ou por denúncia de terceiros.

§ 1º – Ao Comitê de Ética incumbe fornecer aos Dirigentes da Entidade informações e registros sobre conduta Ética, para o efeito de instruir e fundamentar a apuração de denúncias contra qualquer partícipe do quadro funcional da CIFRÃO.

§ 2º – Os procedimentos a serem adotados pelo Comitê, para a apuração de fato ou ato que, em princípio, se apresente contrário à ética, em conformidade com este Código, terão o rito sumário, ouvidos apenas o queixoso e o empregado ou dirigente, ou apenas o suposto faltoso, se a apuração decorrer de conhecimento de ofício do Comitê.

§ 3º – As decisões do Comitê, na análise de qualquer fato ou ato submetido à sua apreciação ou por ele levantado serão resumidas em ementas, e, com a omissão dos nomes dos interessados, divulgadas no âmbito da Direção da Entidade, bem como remetidas ao Conselho Deliberativo.

§ 4º – A pena aplicável ao empregado ou dirigente pelo Conselho é a de censura e sua fundamentação constará do respectivo parecer, assinado por todos os seus integrantes, com ciência do faltoso.

§ 5º – O Conselho não poderá se eximir de fundamentar o julgamento da falta de ética do empregado, dirigente ou do prestador de serviços contratado, alegando a falta de previsão neste Código, cabendo-lhe recorrer à analogia, aos costumes e aos princípios éticos e morais conhecidos em outras profissões.

§ 6º – Para fins de apuração do comprometimento ético, entende-se por empregado e por dirigente da CIFRÃO aquele que, por força de lei, contrato ou de qualquer ato jurídico, preste serviços de natureza permanente, temporária ou excepcional, ainda que sem retribuição financeira, desde que ligado direta ou indiretamente à CIFRÃO.

§ 7º – Em cada órgão da Administração da CIFRÃO, inclusive no Conselho Deliberativo, em que qualquer pessoa houver de tomar posse ou ser investido em função de direção ou de assessoria, deverá ser prestado, um compromisso formal, solene de acatamento e observância das regras estabelecidas por este Código de Ética e de todos os princípios éticos e morais instituídos pela tradição e pelos bons costumes, expressando adesão a este conjunto de regras e preceitos.

CAPÍTULO VI – Disposições Transitórias Finais

Art. 14 – Os conceitos e disposições deste Código serão periodicamente revistos de modo a que se mantenham atualizados, sejam por modificações, supressões ou acréscimos, devidamente fundamentados pelo próprio Comitê de Ética ou por iniciativa do Conselho Deliberativo, sendo que toda e qualquer modificação deverá ser objeto de apreciação pelo Plenário e a deliberação respectiva deverá ser formalizada em Resolução específica do Conselho.

Art. 15– Este Código de Ética entra em vigor a partir da data de sua aprovação pelo Conselho Deliberativo.

Faça o download do arquivo

LINKS RELACIONADO

  • Patrocinador

    A Casa da Moeda do Brasil (CMB) foi fundada em 8 de março de 1694 pelo rei de Portugal [...] Clique aqui!

  • A Cifrão

    A CIFRÃO é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC). As EFPCs, também conhecidas como Fundos de Pensão, administram [...] Clique aqui!

  • Organograma

    Clique aqui!

VER TODOS

COMUNICADOS DA CIFRÃO

  • Propostas de alterações dos Regulamentos PBDC e MOEDAPREV (TAC) – Revisão 24/05/2018

    Confira os documentos relacionados clicando nos seus respectivos links. Clique aqui!

  • A CIFRÃO agora tem novo endereço.

    A CIFRÃO passou a exercer as suas atividades operacionais em uma nova sala. Clique aqui!

  • Eleições de 2017 – Resultado final

    Faça o download do arquivo Clique aqui!

VER TODOS

FORMULÁRIOS

Acesse todos os formulários da Cifrão aqui.